Em resposta a cenário positivo do setor, indústria de embalagens plásticas cresce mais de 54% em fevereiro

Em resposta a cenário positivo do setor, indústria de embalagens plásticas cresce mais de 54% em fevereiro

Maximu’s Embalagens Especiais celebra os resultados a partir de uma boa gestão

A Indústria está comemorando os bons números de fevereiro, mesmo que o cenário da economia ainda esteja bastante tímido. O Índice de Confiança da Indústria (ICI) apurado na prévia da sondagem de fevereiro teve um avanço de 0,9 ponto em relação ao dado fechado de janeiro, atingindo 99,1 pontos, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Este resultado representa o maior patamar desde agosto de 2018, e nesta mesma circunstância de saldos positivos, está a Maximu’s, empresa de embalagens de proteção plásticas, que cresceu mais de 54% em relação ao mesmo período do ano passado.

A empresa, que atua com uma filial em Varginha para atender o mercado de Minas Gerais, é classificada como uma organização de médio porte e familiar. A Maximu’s Embalagens Especiais desenvolve uma estratégia financeira e de gestão diferente das demais empresas do seu segmento, trabalhando com capital próprio, ou seja, não opera com recursos de terceiros, sendo assim, autossustentável financeiramente. Erick H. C. Souza, diretor da Maximu’s, explica que é a partir desta gestão que a empresa tem crescido mês após mês.

“Nossa estratégia administrativa segue o estilo aplicado em grandes empresas. As decisões passam por um Conselho Consultivo, com o qual tudo é debatido e as decisões são sempre conjuntas. A estrutura que nós buscamos é trazer uma estrutura de uma empresa grande, porém menos burocrática”, ressalta Erick.

O executivo ainda explica que os números de fevereiro têm a ver com dois grandes negócios fechados no mês: um novo contrato com uma importante fabricante de autopeças e transferência de um projeto que era atendido por Ribeirão.

“Fechamos um novo contrato com uma importante fabricante de autopeças e transferimos um negócio que era atendido por Ribeirão. Este cliente atende o setor de equipamentos de informática e teve um grande aumento na demanda para 2019. Por ter melhor sinergia com os processos produtivos de Varginha e o tipo de projeto, optamos por transferir este atendimento para lá dando maior exclusividade de atendimento, liberando espaço para absorção de mais demandas em São Paulo”, conclui.

Além da fábrica em Varginha, Minas Gerais, a sede da Maximu’s também teve números positivos em fevereiro, quando comparado com o mesmo período do ano passado; um aumento de mais de 32% no faturamento.

Maximu’s Embalagens Especiais celebra os resultados a partir de uma boa gestão

A Indústria está comemorando os bons números de fevereiro, mesmo que o cenário da economia ainda esteja bastante tímido. O Índice de Confiança da Indústria (ICI) apurado na prévia da sondagem de fevereiro teve um avanço de 0,9 ponto em relação ao dado fechado de janeiro, atingindo 99,1 pontos, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Este resultado representa o maior patamar desde agosto de 2018, e nesta mesma circunstância de saldos positivos, está a Maximu’s, empresa de embalagens de proteção plásticas, que cresceu mais de 54% em relação ao mesmo período do ano passado.

A empresa, que atua com uma filial em Varginha para atender o mercado de Minas Gerais, é classificada como uma organização de médio porte e familiar. A Maximu’s Embalagens Especiais desenvolve uma estratégia financeira e de gestão diferente das demais empresas do seu segmento, trabalhando com capital próprio, ou seja, não opera com recursos de terceiros, sendo assim, autossustentável financeiramente. Erick H. C. Souza, diretor da Maximu’s, explica que é a partir desta gestão que a empresa tem crescido mês após mês.

“Nossa estratégia administrativa segue o estilo aplicado em grandes empresas. As decisões passam por um Conselho Consultivo, com o qual tudo é debatido e as decisões são sempre conjuntas. A estrutura que nós buscamos é trazer uma estrutura de uma empresa grande, porém menos burocrática”, ressalta Erick.

O executivo ainda explica que os números de fevereiro têm a ver com dois grandes negócios fechados no mês: um novo contrato com uma importante fabricante de autopeças e transferência de um projeto que era atendido por Ribeirão.

“Fechamos um novo contrato com uma importante fabricante de autopeças e transferimos um negócio que era atendido por Ribeirão. Este cliente atende o setor de equipamentos de informática e teve um grande aumento na demanda para 2019. Por ter melhor sinergia com os processos produtivos de Varginha e o tipo de projeto, optamos por transferir este atendimento para lá dando maior exclusividade de atendimento, liberando espaço para absorção de mais demandas em São Paulo”, conclui.

Além da fábrica em Varginha, Minas Gerais, a sede da Maximu’s também teve números positivos em fevereiro, quando comparado com o mesmo período do ano passado; um aumento de mais de 32% no faturamento.

Maximus