Diretor da Maximu’s Embalagens Especiais, Marcio Grazino, avalia modelos de negócios e startups na Fatec Mauá

Diretor da Maximu’s Embalagens Especiais, Marcio Grazino, avalia modelos de negócios e startups na Fatec Mauá

O diretor da Maximu’s Embalagens, Marcio Grazino, foi um dos avaliadores dos projetos de empreendedorismo, desenvolvidos por alunos da Fatec de Mauá na final do 1º Escola de Inovadores, realizada ontem (25/6).

O curso de extensão gratuito e aberto à comunidade teve foco em modelos de negócios e startups. O evento foi feito nos moldes do reality show “Negociando com Tubarões”, versão brasileira do “Shark Tank” e no qual empreendedores são desafiados a apresentar o seu negócio à empresários denominados “tubarões”, para tentar adquirir investimentos e impulsionar o crescimento da empresa.

No total, oito projetos foram expostos. As ideias de plataformas digitais apresentadas focaram, em sua maioria, em propostas inclusivas, como a que visa oferecer um curso pré-vestibular para pessoas de baixa renda; projetos de arquitetura para famílias de classe C e D; e de atividades a crianças e adolescentes no contraturno escolar. Outros projetos foram voltados à valorização dos bairros, como o que propõe a disponibilização de motoristas que, via aplicativo, buscam os clientes onde estiverem para levá-los à salões de belezas instalados em vilas mais afastadas do centro, além de propostas sustentáveis, envolvendo a questão de logística reversa. “Foi um aprendizado enorme participar da primeira edição do Escola de Inovadores. Desejo muito sucesso nos novos projetos”, falou Grazino.

O diretor da Maximu’s Embalagens, Marcio Grazino, foi um dos avaliadores dos projetos de empreendedorismo, desenvolvidos por alunos da Fatec de Mauá na final do 1º Escola de Inovadores, realizada ontem (25/6).

O curso de extensão gratuito e aberto à comunidade teve foco em modelos de negócios e startups. O evento foi feito nos moldes do reality show “Negociando com Tubarões”, versão brasileira do “Shark Tank” e no qual empreendedores são desafiados a apresentar o seu negócio à empresários denominados “tubarões”, para tentar adquirir investimentos e impulsionar o crescimento da empresa.

No total, oito projetos foram expostos. As ideias de plataformas digitais apresentadas focaram, em sua maioria, em propostas inclusivas, como a que visa oferecer um curso pré-vestibular para pessoas de baixa renda; projetos de arquitetura para famílias de classe C e D; e de atividades a crianças e adolescentes no contraturno escolar. Outros projetos foram voltados à valorização dos bairros, como o que propõe a disponibilização de motoristas que, via aplicativo, buscam os clientes onde estiverem para levá-los à salões de belezas instalados em vilas mais afastadas do centro, além de propostas sustentáveis, envolvendo a questão de logística reversa. “Foi um aprendizado enorme participar da primeira edição do Escola de Inovadores. Desejo muito sucesso nos novos projetos”, falou Grazino.

Maximus